Night Vale é uma cidade cheia de particularidades, e, por isso, igual a sua

Um livro muito doido, com uma menina que tem 19 anos há muitos anos, um adolescente que muda de forma todos os dias, uma mãe que não sabe direito para que serve seu trabalho, e um cara de paletó bege que vai mudar tudo isso! Ah, e um radialista que vai contando todo esse rolê para nós e para os habitantes da cidade

Welcome to Night Vale é, originalmente, um podcast americano criado em 2012 por Joseph Fink e Jeffrey Cranor (também autores do livro em questão), que tem o formato de um programa de rádio, contando as estranhezas que ocorrem nessa cidade peculiar. Entretanto, não, você não precisa ter escuto ao podcast para ler o livro, apesar de que, quando terminá-lo, a primeira coisa que irá querer fazer é escutar esse podcast e comprar todos os livros (oi, meu caso).

A narrativa irá acompanhar duas mulheres, Jackie e Diane. Jackie Fierro tem 19 anos há décadas e é responsável pela loja de penhores da cidade. Ela ama sua rotina e é a única coisa que se lembra de toda a sua vida, e a que sabe fazer. Até que o aparecimento de um homem de terno bege com uma maleta de couro de veado em sua loja bagunça completamente seu cotidiano, forçando Jackie a sair da sua zona de conforto e ir atrás de respostas.

Diane Crayton é mãe solo de Josh, um típico adolescente que está sempre mudando de forma (literalmente, ele é metamórfico), quieto e incompreendido, na qual mantém uma boa relação, mas um pouco distante. Ela vive para o filho, trabalha num escritório com algo que não gosta, passa o dia com vários períodos ociosos e não sabe o que sua empresa faz direito, uma realidade como a de tantos. Até o dia em que Diane se dá conta do desaparecimento de um funcionário, Evan. Quando vai falar com as pessoas a respeito, ela tem a ingrata surpresa de perceber que Evan nunca existiu, ninguém tem nenhuma memória dele. Nessa busca por Evan, ela acaba, assim como Jackie, transformando sua rotina, tendo que encarar fantasmas do passado e percebendo se afastar do filho em busca de suas próprias respostas.

Conforme acompanhamos o drama dessas duas mocinhas, conhecemos mais sobre Night Vale – o livro tem todo o cuidado de apresentar a cidade para nós, que não conhecíamos previamente o podcast, de uma forma sútil, que faz você imergir completamente nesse mundo LOUCO. A história é cheia de coisas nonsense (à primeira vista) e é fantasiosa, e todas essas coisas são retratadas como corriqueiras, o que torna tudo muito divertido. Night Vale é um universo rico, original e muito criativo, impossível não criar um laço com essa cidade que é tão estranha e com as criaturas todas que a habitam, é um encanto! A cidade é muito inspirada em “Lugar Nenhum” de Coragem: o Cão Covarde, por ser cercada por um deserto infinito, palco de várias teorias da conspiração e de coisas bizarras que todos tratam naturalmente.

IMG_1961

O que mais me encantou nesse livro (na real, tudo me encantou horrores), é a profundidade de toda a história. Ela não é uma bizarrice gratuita, mas tudo é uma metáfora criativa e, por vezes, nem tão sútil, a diversas coisas do nosso cotidiano, do nosso governo, das nossas relações. Nada está ali por acaso, e conforme você vai se adentrando na leitura, isso começa a aparecer, e você sente a metáfora – mesmo que não consiga explicar direito e se aprofundar em toda a sua significância. O livro tem um tom irônico e até certo ponto debochado, mas extremamente divertido e que provoca a reflexão e risos. Quando você menos esperar, lendo despretensiosamente sobre as coisas bizarras, vai levar um tapa na cara, sério! Os meus maiores destaques desses momentos é a representação da Câmara Municipal (uma multidão de pessoas iguais que falam exatamente a mesma coisa, e que não resolvem nada) e os Bibliotecários (são monstros que matam as pessoas, a Biblioteca é um lugar perigosíssimo e os livros são praticamente proibidos em Night Vale).

Isso tudo é o que se passa no contexto da história. No plot principal, de Diane e Jackie, é que aí as mensagens são MUITAS. Primeiro que quando você menos esperar já vai estar amando as duas, são personagens muito cativantes. O livro fala essencialmente de família – da relação entre mãe e filho, da ausência de um pai na construção dessa família, no reconhecimento tanto da mãe no filho, quanto do filho na mãe, da empatia e no amor entre eles. Fla ainda sobre forma como cada um encara essa relação, no que fazem para construí-la, no amor que compartilham. Um tema muito legal abordado é o da personalidade, e de como, muitas vezes, a mãe se tornar apenas a “mãe”, e esquece de ser a amiga, a esposa, a trabalhadora, e todas as outras coisas que constituem uma pessoa plural. É uma história que explora a maternidade de uma forma delicada, carinhosa e realista, de diferentes pontos de vista.

O livro não para por aí e fala também sobre o tempo, e como este é muito subjetivo. Cada pessoa tem a sua própria percepção, seu próprio ritmo. Alguns se esquecem ou relutam em envelhecer, para outros passa rápido demais. Enfim, temos família, personalidade e tempo como assuntos que vão permear toda a narrativa e estão ali, escondidinhos nos mistérios e aventuras que Diane e Jackie involuntariamente se meteram. Enquanto você quer desesperadamente entender o que está acontecendo e ir montando todo o quebra-cabeça da trama, você vai ganhar reflexões para a vida!

Ah, por fim, como disse no começo, esse livro é fruto de um podcast em formato de programa de rádio, temos esse programa de rádio. Cecil (o protagonista do podcast) tem seus espacinhos no livros, onde nos tiras boas gargalhadas, vários “quê?????” e alguns “hmmm”. Um personagens mega carismático que dá um plus em toda a narrativa.

IMG_1969

Welcome to Night Vale estava parado na minha pilha de leituras há um tempo, eu não fazia ideia do que esperar do livro. Ele foi lançado em 2016 pela Intrínseca, mas não foi nadinha comentado – eu pelo menos não vi. Mas ele estava me chamando aos poucos, eu sentia haha. Até finalmente pegá-lo para ler e ter tomado uma das decisões mais acertadas! Li no momento certo para mim. Ele é narrado em terceira pessoa, e, num primeiro momento, parece um fluxo de consciência doido, mas o ponto é que os comentários, observações, descrições, tudo, é tão perfeitamente construído, que parece estranho até você perceber que é exatamente como você pensa, e que foi transmitido da melhor maneira possível haha. O livro tem pouco mais de 300 páginas, e já é um dos meus FAVORITOS da vida. Sério, por favor, leiam! Fiz até MARCAÇÕES nele. Queria compartilhar mas acho que já falei muito rs.

Agora, irei ouvir ao podcats, o que ainda não fiz e colocar todos os livros nesse universo na minha wishlist! Se tudo for tão maravilhoso como o livro, o que acredito de verdade que será, em breve iremos ter mais coisas sobre a cidade tão bizarra e amada de Night Vale! Se você já leu ou já experienciou outras coisas de universo, alô, vamos conversar, por favor – Gente sério, na minha busca eu vi que isso é meio que uma fenômeno lá fora haha.

PS: AAH mas por que na foto tem papel escrito King City??? Tem que ler pra saber :p

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s